Preparando a equipe no ambiente da informação estratégica

Rio de Janeiro, 2006

Introdução

A revolução em andamento é que a manufatura ou produção não é mais principal centro de lucro e sim a logística, os sistemas de armazenagem, transportes e distribuição.

A empresa migra do conceito da produção para o conceito da logística.

Da mesma forma a economia migra do conceito do capitalismo para o conceito da rede do conhecimento.

O grande inimigo desta tendência é o excesso de informações e a dificuldade de entender o significado de cada informação e seu propósito.

Apresentando a Inteligência

O termo inteligência se aplica à capacidade de aprender, compreender, adaptar e se relacionar. O termo define um processo dinâmico, capaz de percorrer o caminho da reflexão a ação.

A integração de informações empresariais pela informática representa no Brasil um mercado superior a R$ 1 bilhão ao ano, dinheiro que as empresas estão investindo para ampliar a geração e o controle de informações.

O desafio é transformar a informação em ferramenta de orientação para o processo de decisões. É o chamado “Sistema de Inteligência Corporativa” que deve cobrir todos os tipos de informação: primária e secundária, interna e externa, estruturada e desestruturada. Inclui estudos, artigos e clipping de jornais e revistas.

As oportunidades no mercado

É um mundo mais competitivo e complexo onde as decisões precisam ser mais rápidas. As pessoas e as empresas enfrentam o mesmo desafio: gerenciar informações, interpretar o ambiente a sua volta e escolher caminhos.

O gerenciamento da informação representa um novo mercado de trabalho. Nas empresas o desempenho pode ser melhorado através dos sistemas de qualidade (ISO, Six Sigma, Balanced Score Card), gerenciamento de riscos, construção de cenários prospectivos e os estudos de mercado e de performance.

A informação interna é monitorada por bancos de dados, sistemas de análise estatística e de apoio à decisão, representados por softwares como o Oracle, SAS e o SAP.

A captação de informação externa, a participação de todos na sua interpretação e o real conhecimento da capacidade da organização é o conjunto que o Sistema de Inteligência Corporativo proporciona.

Gestão de alta performance

A habilidade da organização da pessoa ou empresa em aprender, criar conhecimento e se renovar depende da sua capacidade de transformar a informação em inteligência para apoiar decisões. A partir da inteligência formar uma base conhecimento que possa ser gerido, distribuído, validado e atualizado.

Essa capacidade é apontada por diferentes autores (Peter Drucker a Michael Porter) como um dos segredos do sucesso para atuar no mercado no século XXI.

Construindo valor

Existe uma grande incompreensão em relação ao que significa a riqueza. Há 50 anos atrás era considerada pobreza uma praia deserta e poucos habitantes sobrevivendo da pesca. A vida numa grande cidade era o símbolo de riqueza.

Hoje em dia essa mesma praia deserta é o símbolo da riqueza, por que o meio ambiente não poluído é considerado o maior valor, enquanto as cidades são símbolo de poluição, violência e pobreza.

O dinheiro é erradamente confundido com riqueza. O dinheiro é um dos símbolos da riqueza. O dinheiro vale por que compra coisas de valor, mas existem valores como a qualidade de vida, a saúde, a elegância, o bom gosto, a inteligência, o conhecimento e sabedoria que não podem ser adquiridos, precisam ser construídos.

As empresas perceberam isso e mudaram a forma de contabilizar seu valor. As práticas de contabilidade tradicionais são o formato exigido para apresentação dos balanços anuais das empresas. O balanço contábil apresenta ativos, passivos e a liquidez corrente (ativos de curto prazo menos passivo de curto prazo) é a linguagem que os analistas financeiros falam. Mas, a verdadeira expressão do valor de um negócio tem outros componentes, cada dia mais usados e reconhecidos.

Novas formas de analisar a valor da empresa foram desenvolvidas, com determinados enfoques conceituais:

Valor Econômico Agregado – EVA (Economic Value Added)

Geração de Fluxo de Caixa por Investimento

Outro indicador que surge é o Relatório Ampliado dos Negócios – EBR (Enhanced Business Reporting). Esse relatório não substitui o balanço contábil no formato indicado legalmente. Mas, oferece maior transparência sobre todos os tipos de ativos, incluindo ativos intelectuais e intangíveis.

Marcas registradas, pessoal treinado, softwares próprios e outros intangíveis são apresentados nos balanços tradicionais como custos de produção ou administração que reduzem a rentabilidade. Na realidade são investimentos que aumentam o valor da empresa.

Há um esforço para aprovar os conceitos do Relatório Ampliado dos Negócios como uma expressão correta de demonstrar o valor de uma empresa. O quadro abaixo apresenta o novo formato de compreender os elementos de valor numa organização:

Quadro do Relatório Ampliado dos Negócios

Ativos Ativos tradicionais Ativos intelectuais

Monetário Físico Relacional Organizacional Humano
Tangíveis Depósito a vista; Investimentos, Recebíveis, Incentivos Instalações Máquinas Estoques Sistemas documentados; Marcas e patentes; Sistemas gerenciais; Treinamento de RH; Lista de clientes; Lista de fornecedores; parcerias.
Intangíveis Risco Crédito Fluxo de caixa Balanço forte Localização Apoio dos acionistas; Imagem; Tradição em mercados; Posição em redes de suprimento e conhecimento; Adequação regulatória Estrutura organizacional; Cultura corporativa. Liderança; Habilidade de superar problemas; Recrutamento e seleção; Plano de carreira; Satisfação da equipe; Conhecimento; Experiência da equipe.
Fonte: Outlook 2005 / Accenture

Informação, Inteligência, Conhecimento

Autores estabelecem uma hierarquia na evolução da informação.

Dado – Elemento descolado do contexto, necessita ser posicionado corretamente para se tornar informação;
Informação – Elemento já inserido num contexto que ganha significado. Ao ser analisado integra um sistema de inteligência;

Inteligência – Conjunto de dados que podem orientar uma ação. A observação da sua aplicação leva a um conhecimento;
Conhecimento – Compreensão do comportamento de determinados processos em função dos impactos causados pelas mudanças no ambiente. A correta aplicação holística do conhecimento representa a sabedoria em lidar com mudanças;
Sabedoria – Percepção dos signos da realidade com base na experiência do conhecimento continuado.

Informação

A informação tem uma série de atributos em relação a seus diferentes aspectos como: origem, fonte, oportunidade, exclusiva e relevância local.

Origem

Primária – fruto da observação, fornecida em documentos ou pesquisa de autoridade (estudos, relatórios anuais das empresas) com fé pública, noticiário ao vivo de TV e rádio.
Secundária – publicada em reportagens e notícias de jornais e revistas, comentários de analistas, livros e clipping do noticiário.

Fonte

Confiável – Quando a fonte da informação é identificada como pessoa ou instituição de elevada credibilidade;
Questionável – A fonte não é identificada, tem interesses específicos a defender ou não é confiável;

Oportunidade

Atende uma necessidade urgente quando não existem alternativas. Deve ser analisada segundo fonte e origem e informada suas limitações;

Exclusiva

Informação que ainda não se encontra disponível para a maior parte das organizações ou pessoas. Deve ser analisada em função das suas limitações de origem e fonte.

Relevância local

Informação que tem importância apenas em determinada região. Deve ser analisada em função de origem e fonte.

Inteligência

A informação se transforma em inteligência a partir do momento que passa a fazer parte de um quadro estratégico estabelecido.

Por exemplo, temos o exemplo na estratégia militar a forma de avaliar um país que se prepara ou não para uma ação de guerra. O quadro de situações e informações a ser avaliado é o seguinte:

Social Política Logística Econômica Industrial
Insatisfação da população Construção de alianças internacionais Construção de estoques Incentivos a produção do complexo militar Reorientação do perfil de produção
Baixas perspetivas de mobilidade social Desavenças internacionais Obras estratégicas Fusões e incorporações orientadas pelo Estado Criação de parcerias não tradicionais
Conflito social eminente Alianças internas Contratação de engenharia específica Acordos fornecedores internacionais Duplicação geográfica da produção
Concentração demográfica na faixa de jovens adultos Diminuição do controle democrático Sistemas de treinamento Criação de reservas em fundos secretos Sistemas secretos de produção

Da mesma forma a empresa pode constituir seu quadro de atributos estratégicos, definindo diversos tipos de matrizes, segundo suas necessidades. A seguir uma matriz de coleta de informações básicas para orientar ação empresarial:

Política Mercado Logística Finanças Tecnologia
Ambiente tributário Evolução histórica Projeções das necessidades Matriz de fluxo de fundos da empresa Processos
Ambiente regulatório Elementos variáveis medidos Avaliação da oferta Necessidades de financiamento previstas Sistemas gerenciais
Política monetária e cambial Cenário atual do consumo e da Indução de aumento ou mudança na oferta Estratégia de expansão ou inovação Recursos Humanos
Ambiente internacional Hipóteses de evolução normais Soluções inovadoras Mudança de ênfase nas contas Reciclagem de quadros
Prioridades nacionais Hipóteses surpreendentes Alternativas e parcerias Aferição sistemática da estratégia Geração e gerencia do conhecimento

Grande parte das organizações realiza coleta de dados de forma empírica. Não sistematizam a busca por informações e agem de forma reativa em função das demandas de informações que surgem.

Conhecimento

A observação do comportamento apresentado pela inteligência construída a partir da informação coletada cria o conhecimento sobre a organização, seu processo e seu ambiente. O conhecimento sistematizado torna mais consistente a aferição das realidades internas e externas da organização.
Uma organização possui um capital intelectual que representa um patrimônio de elevado valor e que nem sempre é bem avaliado ou bem utilizado.
Na realidade complexa do mundo não é possível que o conhecimento seja dominado apenas por um grupo pequeno de planejadores, o conhecimento está espalhado entre as pessoas envolvidas nos processos do dia a dia.
Download do Artigo